As Éguas

Jul 2017 - atual

 

Situações plásticas em espaço público

Por meio dos chamamentos equinopúblicos do artista plástico Brunner, diferentes pontos de São Paulo foram ocupados por diferentes corpos com máscara de cabeça equina para desenvolver uma situação, seguindo a proposta das chamadas ações elementares (inspiradas em Oiticica): andar (derivar), mover-se (dançar), comer e relacionar-se (amar). 

As situações partem de uma noção primitiva do humano (elementar), para também pensar a cidade original, anterior ao utilitarismo imediato dos espaços públicos. As éguas (elas preferem ser éguas que cavalos) desenvolvem suas ações elementares nesses espaços com a naturalidade de seu próprio habitat. Assim como no xadrez, (e pensando um jogo situacionista), o equino tem maior liberdade de ocupação do tabuleiro. 

O projeto foi exposto na Funarte São Paulo em 2017 e segue circulando por outros espaços em 2018, quando também foi realizado no Bairro Bom Retiro e na periferia de São Paulo (Jd Brasil). Em 2019 o projeto está circulando pela Argentina e conta com o lançamento de sua versão castelhana "Las Yeguas", que inclui um fanzine lançado em janeiro/2019. Em 2-19 também será lançado o primeiro videoarte das éguas, atualmente em edição em parceria com o coletivo Kinoférico de Guarulhos (SP - Brasil).

Link: https://bit.ly/2ya1IbL

Fanzine Las Yeguas (Argentina) - 2019

© 2020 brunner. design by @arthurXbernardo .