ESTUDO SOBRE BANANAS

Mai - Nov 2017

Estudo sobre bananas é uma pesquisa artística, política e botânica em arte contemporânea, transitando entre a pop art, a arte conceitual e o happening. A proposta é explorar os signos que atravessam a banana apoiados na crítica ao Brasil atual. As relações entre os estudos botânicos e o contexto brasileiro são exploradas a partir de vários formatos e suportes.
 

Estudos Sobre Bananas nº 1: Brasil

Plantação de bananeiras instalada na galeria Flávio de Carvalho na Funarte SP durante a exposição “Corpos que percorrem um espaço coletivo”( out/nov 2017), a obra consiste em brotos e pequenas bananeiras que precisavam ser regadas pelo público.

22427599_361513354305357_425349038021070

Estudo Sobre Bananas nº 2: Aula botânica sobre bananeira 

Um happening que inicialmente consistia em uma aula botânica na Funarte-SP, que por nunca ter acontecido, transformou-se num não-happening crítico à cultura das promessas não cumpridas e obras não concluídas no Brasil.

23098622_1300529520074977_14156946260476

Estudo Sobre Bananas nº 3: Ordem in Progress: 1989 -

Instalação que flerta com a banana de Rodolfo Vani, cartaz da Bienal de São Paulo de 1989 e à redemocratização política brasileira após a ditadura civil-militar que tem no ano de 1989 a primeira eleição presidencial direta e, ainda, é uma auto-referência do artista ao seu ano de nascimento. A banana, cortada e grampeada ao contrário foi disposta dentro de um vidro suspenso na galeria Flávio de Carvalho na Funarte SP (out/nov 2017).

IMG_4084.jpg

Estudo Sobre Bananas nº 4: Festa da Carmen

Um happening-festa tipicamente brasileiro, com muito verde e amarelo ao som das canções de Carmen Miranda. O happening se cmpleta com a expulsão de todos os participantes da festa aos gritos de “Retirem-se! Isso não é uma democracia!”. O projeto foi apresentado no festival Satyrianas 2017 no teatro Pessoal do Faroeste, em São Paulo.

estudo4.png
37023303_538362059915753_705261987524771

Texto crítico do projeto "Estudo Sobre Bananas" elaborado pelos curadores André Fernandes e João Gomes. Exposição "Corpos que percorrem um espaço dividido" (Funarte, São Paulo, 2017). 

003.jpg